O herpes é uma doença causada por dois tipos de vírus, o herpes simples e herpes zoster. São dois tipos diferentes de vírus e causam doenças diferentes nos olhos e na pele.

O herpes é uma infecção que afeta geralmente pacientes jovens e saudáveis, mas muitas vezes o herpes ocular afeta pacientes com outras doenças, como por exemplo pacientes que fizeram transplante de córnea, pacientes imunossuprimidos e/ou portadores do vírus do HIV e pacientes idosos.

O herpes pode causar inflamação na parte anterior do olho (córnea) até a parte posterior do olho (nervo óptico e retina). O oftalmologista no consultório avalia o paciente na lâmpada de fenda e examina o fundo de olho, para saber onde existe alteração causada pelo herpes, para diagnosticar e tratar de maneira correta, e pode solicitar outros exames complementares quando necessário.

O tratamento na fase aguda deve ser iniciado rapidamente e tem como objetivo combater a infeccção pelo herpes e a inflamação, para minimizar os efeitos do herpes no olho. No tratamento são utilizados remédios que combatem o vírus, geralmente por via oral, mas raras vezes pode ser necessário medicamente administrado por via endovenosa. Cremes e pomadas hoje são menos utilizados no olho, já que o remédio por via oral funciona muito melhor e é muito seguro. Depois da fase aguda, o tratameto busca a recuperação da visão tratando as lesões permanentes, às vezes precisando de transplantes de córnea. Entretanto a infecção ocular pelo herpes pode deixar sequelas irreversíveis, principalmente quando atinge a retina e o nervo óptico.

É importante lembrar que o herpes é uma doença tratável e pode que ser controlada. O diagnóstico precoce e tratamento adequados são importantes para o melhor resultado visual.

Recidivas das inflamações no olho causadas pelo herpes podem ocorrer e por isso os pacientes que já tiveram herpes precisam de acompanhamento frequente e individualizado para permitir que a visão permaneça pelo resto da vida.